segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Sem mais palavras...desculpem...

Queridos Amigos,

Desde o inicio da minha (nossa!) gravidez que sempre disse que gostava de partilhar com os meus Amigos a notícia porque queria que estivessem comigo nos bons mas também nos maus momentos.

Não queria andar a esconder aquele brilho nos olhos de felicidade, aquele sorriso malandro de quem tem algo para dizer e além disso rapidamente a minha barriga também quis espreitar cá para fora como que a gritar a felicidade que eu sentia.

Mas sempre pensei também que se algo menos bom acontecesse queria que todos percebecem a minha lágrima no canto do olho ou os meus olhos vermelhos.

O pior aconteceu quando já nem eu o esperava....

Foi muito bom receber o vosso Amor e carinho e é com ele que voltamos a tentar redesenhar a nossa vida.

É bom saber que os nossos Amigos estão conosco para o melhor e para o pior.

Obrigada por todas as mensagens, palavras ou mesmo ausência delas.

A minha ideia de perder um filho era triste, muito triste mas perder um filho é muito mais...

Sim porque eu sinto que perdi um filho... não o conheci, não sei se tinha olhos azuis ou castanhos, se era birrento ou tímido, mas era o meu filho... mesmo que pequenino e magrinho...

“A dor da perda é tão imensa que não pode ser descrita, é uma imensa mistura de sentimentos, que vão da dor física à psicológica, da raiva, do rancor, à dúvida e à culpa.” – alguém disse e eu não poderia dizer melhor...

A dor de um parto é muito dura, mas um parto de um filho já morto dentro de nós é ....não sei...sufocante...esmagadora...explosiva...

De minuto a minuto chega a contração que nos lembra : ACABOU...

Depois as dúvidas venenosas: o que aconteceu? Porquê? Como? O que eu fiz de errado?

Eu sinto uma necessidade enorme de fazer perguntas mas não há ninguém com respostas para mim....

Não o porquê eu, porque não sou só eu (nós)... somos n+1, basta irem à net...

Vou ter de esperar é o que me dizem...para TALVEZ ter algumas respostas...

Desculpem se ando a fugir mas sinto que falo outra lingua, que vivo noutro planeta, tenho o apoio de todos mas parece que na realidade ninguém compreende realmente o que sinto...

Só me dizem "não podes ficar assim", “tens de fazer coisas que gostes para te animares”, não entendem que neste momento eu não me quero animar, eu preciso de estar assim...

Estar sozinha, chorar é de momento uma necessidade ...

Estar com voçês de momento não me deixa chorar, fazer o meu luto que tanto preciso....

Desculpem...

7 comentários:

Anónimo disse...

beijinho grande
Hélder

Mafalda disse...

Amo-te muito AMIGA! Mta força!
Bjs gds! estamos cá todos SEMPRE ao vosso lado...

Xeringado disse...

1 beijo muito grande para o meu amor!

Jorge Freitas Soares disse...

Só descobri o blog hoje...

Um beijinho e muita força.

Jorge

jc disse...

Alô Marta!
Obrigadíssimo pela partilha.
Em resumo queria dizer-te apenas isso: "O coração tem razões que a própria razão desconhece" ... o teu coraçao tem as respostas...as respostas estao dentro ... a mente egotica adora fazer perguntas segundo a perspectiva de Eckhart Tolle autora do livro "O Poder do Agora"
Só tu tens as respostas ninguem (fora, aqui estao tb os teus amigos por exemplo) as podem dar-tas
Um abraço de luz com amor desde barcelona
Zeca, Mahesh

Vera Raposo disse...

Olá Marta
Obrigado pelo comentário. Realmente as tuas palavras são mesmo de alguem que sofreu muito. Percebo-te tão bem quando dizes que ninguem percebe o nosso sofrimento. Quando dizes que nos apetece chorar e entregarmo-nos ao que aconteceu. Passaram 2 meses depois do que se passou e a dor não diminui... E acho que vai ficar sempre.. mas cada dia vamos ganhando forças para continuar em frente e sonhar... Sonhar com um bebe nos braços.. Não vaciles.. O nosso sonho vai-se concretizar.. Força.. Sempre que precisares de uma palavra amiga eu estou aqui:
v.m.raposo@gmail.com.

BEIJO GRANDE

sweet disse...

Obrigada por tão bem descreveres o que se sente... só descobri este blog esta semana e já o li todo...

Um grande beijinho